Produtos proibidos de entrarem no Brasil na volta de uma viagem internacional.

É muito comum irmos às compras quando estamos próximos de voltarmos para casa. Nessas compras tem de tudo: roupas, calçados, maquiagem, acessórios, souvenirs e? cooomida! A gte pode até não ter dinheiro para as outras coisas, mas muito provavelmente teremos pra um chocolate, como por exemplo. Se você está planejando uma viagem para a Argentina, provavelmente alguém já te pediu um alfajor ou até mesmo um docinho de leite (deu água na boca).

otras-alfajores

chocolatesrapanui.com.ar

O problema que se não nos atentarmos para as regras, poderemos perder o alimento ou até mesmo aquela lembrancinha que trouxemos para uma pessoa querida. E o pior não é isso: podemos responder por crime ambiental.

Slide1

www.agricultura.gov.br

 

  • Itens Permitidos

    • Álcoois
    • Arroz
    • Café Torrado E Moído
    • Chocolate
    • Erva-Mate Industrializadas.
    • Farinha
    • Frutos Em Calda
    • Óleos
    • Sucos
    • Vegetais Em Conserva

 

  • Itens Proibidos

    • Abelhas
    • Agrotóxicos
    • Aves Domésticas E Silvestres
    • Bactérias E Fungos
    • Bulbos
    • Caracóis
    • Carne De Qualquer Espécie Animal, In Natura Ou Industrializada (Embutidos, Presunto, Salgados, Enlatados)
    • Espécies Exóticas
    • Flores
    • Frutas E Hortaliças Frescas
    • Insetos
    • Leite E Produtos Lácteos
    • Madeiras Não Tratadas
    • Material Biológico Para Pesquisa Científica, Entre Outros.
    • Mudas E Estacas
    • Ovos E Derivados
    • Peixes E Pássaros Ornamentais
    • Plantas Ou Partes Delas
    • Produtos Apícolas (Mel, Cera, Própolis)
    • Produtos Para Animais
    • Sementes

Diante dessa lista de itens proibidos e permitidos, você tem toda razão de se indagar: “pq a proibição de tal item?” O próprio Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários nos reponde bem objetivamente: toda restrição se baseia no risco de introdução de uma praga ou doença, como vaca louca ou febre aftosa, no Brasil, o que pode ameaçar a produção agropecuária nacional.

Isso é muito sério. A Affan Sindical nos alerta que um dos maiores exemplos é o surto de peste suína africana (PSA) ocorrido em 1978. Um proprietário de um sítio em Paracambi (RJ) recolhia restos de comida servida em voos da TAP e da Iberia e alimentava os porcos. Resultado: todos os suínos das áreas contaminadas foram sacrificados.

Mas tenho boas notícias fornecidas pelo Sindicato:
É possível trazer produtos restritos ao Brasil se o viajante obedecer a algumas regras. A médica-veterinária do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) Diana Cortes afirma o primeiro passo é procurar a Superintendência Federal de Agricultura da sua região. “Lá, você vê se determinado produto da marca que você quer tem permissão para entrar no Brasil, pois avaliamos algumas indústrias pelo mundo, e assim, é possível fazer a solicitação de importação.”
Já no país que está visitando, você pode, também, requerer uma certificação sanitária local do produto, para apresentar às autoridades brasileiras. “Além disso, na hora de preencher a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), é necessário informar o que está trazendo”, explica Roberto. Vale lembrar que os produtos adquiridos nas lojas Duty Free do Brasil não têm restrição.

Das 4 TONELADAS de produtos apreendidos, veja, no gráfico abaixo, a quantidade de laticínios, pescados e embutidos!!! Isso serve de alerta… o assunto é sério.

Slide1

Fonte: ANFFANSINDICAL.

A dica é: ficar atento as regras e preencher os formulários oferecidos no voo.

Ótima semana a todos.

3 comments to Produtos proibidos de entrarem no Brasil na volta de uma viagem internacional.

  • Aurea Peres

    Obrigada Bruna…muito úteis os seus posts…esclarecedores…
    Bj

    Reply
  • vileite

    Ótimas dicas . Na época em que fui à Argentina não havia tanta proibição .

    Reply
  • […] trago uma ótima notícia!!! Não faz muito tempo que fiz um post referente aos produtos que são proibidos de entrarem no Brasil . Pois bem, ontem o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) divulgou uma […]

    Reply

Deixe uma resposta